Conecte-se conosco

Novelas

Entrevista: Fernanda Nobre fala sobre a Diana de “Deus Salve o Rei”

“A Diana não tem muita sorte no amor e acaba se colocando em algumas “roubadas”, revela Fernanda

Publicado

em

Diana (Fernanda Nobre)
Diana (Fernanda Nobre) (Foto: Globo/Marília Cabral)

Diana (Fernanda Nobre) é a melhor amiga de Amália (Marina Ruy Barbosa) na trama da próxima novela das sete, ‘Deus Salve o Rei’, de Daniel Adjafre, com direção artística de Fabricio Mamberti. Uma mulher bonita, bem-humorada, mas que tem um reconhecido “dedo podre” para homens.

Quando Amália termina com Virgílio (Ricardo Pereira), o comerciante logo se aproxima de Diana, que cai na lábia do moço, sem perceber que ele só quer mesmo fazer ciúme para a antiga namorada. Ao longo do tempo, Diana irá perceber que não é o acaso que coloca os homens errados em sua vida, mas ela própria…

Como você define a Diana?
É uma personagem muito intrigante, há um mistério nela que, para mim, é fascinante. Ela é uma mulher solitária, que já sofreu muito na vida e por isso é desconfiada, tem grande dificuldade de se entregar tanto para o amor quanto para amizades. Mas é uma mulher muito forte, batalhadora, guerreira e ambiciosa.

A Diana se apaixona justamente pelo ex-namorado da melhor amiga…
A Diana não tem muita sorte no amor e acaba se colocando em algumas “roubadas”. O Virgílio foi mais uma! Ele se aproveita da carência da Diana para atingir Amália, mas logo ela percebe que ele não é quem ela acreditava que fosse. Vai sofrer porque encontrou nele uma possível parceria. Mas essa história ainda vai dar muitas reviravoltas.

Amália (Marina Ruy Barbosa), Diana (Fernanda Nobre) e Virgílio (Ricardo Pereira). (Foto: Globo/Rafael Campos)

Amália (Marina Ruy Barbosa), Diana (Fernanda Nobre) e Virgílio (Ricardo Pereira). (Foto: Globo/Rafael Campos)

Como é o processo de caracterização para Diana?
Para essa personagem, eu uso aplique e, além disso, ela tem o cabelo frisado. Acho a concepção estética da personagem um acerto, o cabelo longo e frisado remete a uma selvageria da personagem.

Como você se preparou para o papel?
Fizemos um mês intenso de preparação, com aulas e oficinas. Tivemos aulas diárias com o Eduardo Milevicz para trazer uma intimidade para o elenco, virarmos um time, com uma mesma linguagem de atuação. Ali, pesquisamos referências e compomos os personagens juntos. Foi um processo fundamental.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas